Nocturnal Emissions
Violeta Azevedo

26 de Março de 2017 · 19h00 · St. George’s Church

Paradoxalmente as raízes do Situacionismo nunca estiveram tão afastadas temporalmente, mas também nunca fizeram tanto sentido como hoje. Vários os quadrantes que clamam por mudança e que tal como Debord, por exemplo, identificam as fraquezas de diversa ordem – política, cultural, espiritual pelo excessivo poder que as forças económicas exercem em todas as esferas da vida quotidiana, seja a um nível público ou privado, seja numa escala individual ou colectiva.
Limitar o trabalho de Nigel Ayers, responsável pelo legado do projecto Nocturnal Emissions à vertente musical é excessivamente redutor. Desde o seu remoto início, no final da década de 1970 que Nocturnal Emissions teve a preocupação em cruzar música, com artes plásticas e com outras formas de expressão artística de forma incisiva e com o objectivo de provocar a inquietação ou inquietações que sejam propulsoras de movimentos de mudança.

Recordemos que Nocturnal Emissions foram os únicos a dar um concerto no meio dos históricos motins de Brixton, no subúrbio Sul de Londres, em Abril de 1981. Apresentam um conjunto de lançamentos bastante prolífico entre o electro-acoustico, música concreta, colagens sonoras, post – industrial, ambiente e noise music. Frequentemente comparados a Throbbing Gristle, Nurse With Wound e Coil, Nocturnal Emissions estreiam-se finalmente em Portugal.

Violeta Azevedo toca flauta transversal há alguns anos e já há algum tempo acrescentou-lhe pedais, explorando, desta forma, as sonoridades que advêm desta combinação peculiar. Apresenta-se tanto num projecto a solo, que tem vindo a desenvolver gradualmente, como acompanhando Jasmim.

Reservas geral@narizentupido.com

Evento Facebook
Cartaz Júpiter

>